Elaboração de inventários: 5 boas práticas

Venda mais e compre melhor com as certificações PRIMAVERA Vendas

A elaboração e gestão de inventários parece-lhe uma tarefa que apenas interessa a quem trabalha em armazéns e logística? Nada disso! Este conhecimento pode ser útil em qualquer área de negócio e até mesmo na sua vida pessoal.

Quem não detesta ter de voltar ao supermercado porque se esqueceu de comprar qualquer coisa? Pois é, até mesmo na nossa própria casa é importante conhecer os princípios e boas práticas de gestão de inventários.

Além disso, se terminou recentemente a sua formação académica e ainda tem pouca experiência, ter conhecimentos na área pode ser um fator diferenciador aos olhos dos recrutadores.

Não há dúvidas: garantir uma gestão de stocks eficiente é essencial para o bom funcionamento de qualquer empresa. Contudo, independentemente da área de negócio, gerir as entradas e saídas de armazém implica uma série de processos e ações ao nível do acompanhamento, manuseamento e gestão de materiais em stock.

Como tal, ter conhecimentos base na gestão de inventários é essencial para entrar num mercado de trabalho altamente competitivo.

Elaboração e gestão de inventários: 5 boas práticas

1. Criar padrões

Para uma maior eficácia, os processos de elaboração e gestão de inventários devem obedecer a um padrão. O número de pessoas envolvidas na logística de uma empresa faz com que seja essencial que todos obedeçam a uma lógica de tarefas a fim de diminuir a probabilidade de ocorrerem erros e falhas. No entanto, padronizar não significa essencialmente fazer sempre tudo da mesma forma, mas sim criar um modelo de procedimento para que todos os envolvidos compreendam os objetivos, estratégias e ações.

2. Analisar os indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho, também conhecidos por  KPI’s, são essenciais para determinar o desempenho da empresa em determinado período temporal, seja face à concorrência ou face a outros períodos de tempo.

Como tal, acompanhar o desempenho e a evolução dos resultados da empresa é essencial para aumentar a competitividade e eficiência da mesma. Considere, por isso, integrar os números de compras, vendas, previsão e planeamento e faça uma análise do estado operacional do armazém de forma regular.

3. Tirar partido da tecnologia

A evolução tecnológica e a introdução dos sistemas informatizados nas empresas veio facilitar bastante os processos empresariais, principalmente os processos de gestão e elaboração de inventários.

Não é novidade  nenhuma: os softwares de gestão são já uma realidade na maioria das empresas da atualidade. Exemplo disso são as empresas que recorrem às soluções de gestão de softwares integrados para otimizarem a gestão do seu negócio. E quando falamos em otimização de negócios, falamos claro na redução de erros e na rentabilização de recursos.

4. Preparar a contagem de inventário

Antes de iniciar a contagem de material em armazém, deve identificar a existência de movimentações pendentes: classificação de produtos avariados, separação de material, introdução de novos recebimentos no sistema, etc.

Por norma, é devido à falta de conclusão destas movimentações que surgem discrepâncias de inventário. Como tal, o ideal será concluir todas estas operações antes de iniciar o processo de contagem de material.

Pelo mesmo motivo, a contagem de stock só deve ser efetuada depois de organizar o local. Organize, limpe e desobstrua o armazém, corredores e salas. Para além de facilitar e otimizar o processo de inventário, esta organização prévia também irá garantir a segurança dos funcionários envolvidos na contagem.

5. Investir na formação

Se está à procura do primeiro emprego, saiba que a formação académica por si só não é suficiente. Num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, vencem aqueles que são capazes de ir mais além.

A par disso, sabia que, ao recrutar recém-licenciados, os empregadores avaliam a formação complementar do candidato? Ou seja, para além da licenciatura ou curso profissional, é importante completar outras formações.

Em cima, referimos os softwares de gestão como uma tendência empresarial. Nesse sentido, sabia que mais de 40 mil empresas em todo o mundo recorrem diariamente às soluções de gestão PRIMAVERA para otimizarem a gestão do seu negócio?

Assim, e tendo em conta a procura crescente por profissionais com conhecimentos de utilização em PRIMAVERA, foram desenvolvidas as Certificações de Utilizadores em PRIMAVERA. Investir numa Certificação de Utilizadores em PRIMAVERA, neste caso no módulo de Compras e Inventário,  valoriza o seu currículo e assegura a entrada direta na Bolsa de Utilizadores Certificados, garantindo-lhe assim maiores hipóteses de conseguir um lugar no mercado de trabalho.

Aposte na Certificação de Utilizadores como fator diferenciador e siga as boas práticas acima mencionadas. Não há como não ser bem sucedido!

 

 

Leve a sua carreira para o próximo nível com as Certificações em PRIMAVERA Vendas
Este artigo foi útil?
NãoSim (votos +2, votaram 2, o seu voto ficou registado)
Loading...

Deixar uma resposta