Taxa de desemprego em Portugal

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, no 3º trimestre de 2017 foi registada uma taxa de desemprego de 8,5%. Valor que representa uma quebra de 2,6 pontos percentuais relativamente à taxa média anual registada em 2016 (11,1%).

No entanto, em sentido inverso à queda da taxa de desemprego global em Portugal, a taxa de desemprego dos jovens entre os 15 e 24 anos voltou a subir. Em agosto de 2017 terá atingido os 24,8% e em setembro os 25,7%.

É normal que os jovens tenham taxas de desemprego mais altas que a média da população ativa, uma vez que muitos deles estão à procura do primeiro emprego. Aliado a isso, na maioria das ofertas de emprego um dos requisitos básicos é ter um número mínimo de anos de experiência.

Por outro lado, a formação universitária por si só não chega para garantir as qualificações técnicas pedidas na maioria das ofertas de emprego! É preciso ir mais além.

Taxa de desemprego: o que fazer?

É cada vez mais importante aprofundar e consolidar novos conhecimentos de forma a desenvolver o potencial profissional e aumentar a vantagem competitiva face aos outros candidatos do mercado de trabalho. Mercado esse cada vez mais competitivo.

Como? Através de cursos, MBA’s, pós-graduações, formações, certificações ou especializações. Sim, é verdade! Ter conhecimento técnico é cada vez mais importante para entrar no mercado de trabalho e evoluir profissionalmente.

Formação como ponto-chave

Num mercado de trabalho onde a competitividade é cada vez mais assertiva, a qualificação é um fator diferencial.

Pois é ou não verdade que as empresas procuram profissionais qualificados e capazes de responder aos desafios impostos por um mundo cada vez mais global e tecnológico?

Por norma, as taxas de integração no mercado de trabalho são mais elevadas para quem tem uma certificação. Além disso, são as profissões que recorrem ao uso de ferramentas ou softwares específicos que têm maiores níveis de integração.

Assim, e  após uma análise feita às ofertas de emprego ao longo de 2016, a empresa PRIMAVERA BSS concluiu que só em Portugal surgem em média 53 ofertas de emprego por semana em que um dos requisitos básicos é o conhecimento em software PRIMAVERA.

É verdade! Profissionais certificados têm, em média, 60% mais probabilidade de arranjar emprego. E é esta a principal diferença entre ter e não ter uma certificação.

Foi assim que, tendo em conta a procura crescente por profissionais com conhecimentos em PRIMAVERA, surgiu a Certificação de Utilizadores PRIMAVERA.

Uma certificação que permite aos estudantes do ensino Secundário, Profissional e Superior obter competências práticas nas soluções de gestão PRIMAVERA, distinguindo-os como utilizadores certificados.

Além disso, possibilita ainda a entrada direta na Bolsa de Utilizadores Certificados acessível às mais de 40 mil empresas que trabalham com o software PRIMAVERA e que procuram profissionais qualificados.

Não há dúvidas, a Certificação de Utilizadores PRIMAVERA é a aposta certa para quem pretende valorizar o currículo e ganhar vantagem competitiva sobre outros candidatos.

No mercado de trabalho há pequenas coisas que fazem toda a diferença. E a Certificação de Utilizadores PRIMAVERA é uma delas! Aposte em si e no seu futuro, certifique-se.

 

Este artigo foi útil?
NãoSim (Sem avaliações)
Loading...

Um comentário em “Taxa de desemprego em Portugal”

Deixar uma resposta