Taxonomias: tudo o que precisa de saber

No final de 2016 foi publicada a Portaria nº302/2016, um documento legal que estabeleceu novas regras de estruturação do ficheiro SAF-T (PT) e introduziu o conceito de taxonomias.

Neste artigo explicamos-lhe tudo o que precisa de saber sobre as alterações do ficheiro e ainda o que são, afinal, as tão faladas taxonomias.

O que é importante saber sobre as taxonomias?

As novas alterações no ficheiro SAF-T (PT)

Apesar de não ser novidade, é normal que ainda surjam algumas dúvidas relativamente às alterações do ficheiro SAF-T (PT) implementadas a partir do segundo semestre de 2017.

Dada a diversidade dos planos de contas utilizados pelas diferentes entidades e tendo em conta a dificuldade de compreender e controlar os dados contabilísticos através da versão 1.03 do ficheiro SAF-T (PT), a nova versão (1.04) inclui um novo campo na tabela de códigos de contas: o Taxonomy Reference ou, em português, o referencial de classificação de contas.

Assim, de forma sucinta, as principais alterações introduzidas pela nova versão assentam:

  • Na forma como é organizada a informação contabilística das empresas;
  • Na estrutura de comunicação dos dados contabilísticos à Autoridade Tributária.

Estas alterações têm como objetivo simplificar e automatizar o preenchimento dos Anexos A e I da Informação Empresarial Simplificada (IES) de 2017 a submeter em 2018.

Além disso, as alterações introduzidas permitem facilitar a análise da contabilidade das empresas por parte dos Serviços de Inspeção Tributária e Aduaneira, uma vez que a informação se encontra mais organizada.

Mas afinal, o que são as taxonomias?

As taxonomias são, nada mais nada menos, do que tabelas de códigos pré-definidos que permitem relacionar os planos de contas com as rubricas contabilísticas utilizadas pelas diferentes entidades.

Deste modo, haverá uma maior compreensão informática dos dados de contabilidade de acordo com o plano de contas adotado por cada entidade.

Que empresas são abrangidas pelas alterações?

Todas as empresas que utilizem na sua atividade o regime de Contabilidade Organizada são abrangidas pelas novas alterações do ficheiro SAFT.

Alterações obrigatórias, a partir de quando?

A mais recente versão do ficheiro SAF-T (PT) entrou em vigor no dia 1 de julho de 2017. Desde então, o ficheiro deve ser entregue com a nova estrutura sempre que os serviços de Inspeção Tributária e Aduaneira o solicitem.

Veja neste ebook gratuito como pode preparar a sua empresa para responder às novas regras fiscais.

O papel dos softwares de gestão certificados

São cada vez mais as empresas que recorrem a softwares de gestão para otimizarem a gestão financeira e administrativa dos seus negócios. No entanto, é importante garantir que o software utilizado é certificado pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT). Porquê? É simples. Todos os softwares de gestão certificados têm, por obrigação, de exportar o novo ficheiro SAF-T (PT).

Assim, ao utilizarem um software certificado, as empresas não têm qualquer trabalho extra no que diz respeito à exportação do ficheiro SAF-T (PT) desde que as atualizações do mesmo estejam configuradas.

No caso do software de gestão PRIMAVERA, reconhecido internacionalmente e utilizado por mais de 40 mil empresas espalhadas por todo o mundo, as alterações do ficheiro SAF-T (PT) não precisam de ser uma dor de cabeça!

No entanto, e se está à procura de emprego na área, ter conhecimentos de utilização em software PRIMAVERA permite-lhe obter vantagem competitiva face aos restantes candidatos do mercado de trabalho.

Sabia que só em Portugal surgem em média 53 anúncios de emprego por semana em que um dos requisitos básicos é o conhecimento em PRIMAVERA? Sim, é verdade!

Foi assim que, tendo em conta a crescente procura por profissionais com conhecimentos de utilização em software PRIMAVERA, surgiram as Certificações de Utilizador em PRIMAVERA.

Certifique-se e leve a sua carreira até ao próximo nível.

 

 

Este artigo foi útil?
NãoSim (votos +1, votaram 1, o seu voto ficou registado)
Loading...

Deixar uma resposta